Duration faz diferença nos produtos de renda fixa?

Escola de Negócios

Investimento e prazo

Quando pensamos em investimentos em produtos de renda fixa, nós, investidores, sempre acreditamos que o produto oferecerá um retorno garantido.  Isto é, um rendimento, sem nenhum risco. Isso, contudo, é um equívoco, como já publicamos no Blog da HB, no artigo O risco em uma operação de renda fixa. A renda fixa está atrelada a dois tipos de riscos: prazo de emissão e qualidade de crédito do emissor. Neste artigo, vamos falar sobre o primeiro aspecto: o prazo da emissão. Ou, em uma conotação mais técnica, vamos falar da duration nos produtos de renda fixa.

Em resumo, a duration é o prazo médio de um título de renda fixa descontado pela taxa de juros. Por existirem variações na taxa de juros do mercado ao longo do tempo, sempre haverá alterações no valor presente do título. Portanto, o valor presente depende do prazo e da taxa de juros. A essa sensibilidade, do preço em relação às taxas de juros, chamamos de duration.

Essa variável de risco é levada em consideração no segundo nível da classificação de fundos da ANBIMA, de renda fixa.

Divisão dos fundos por duration – ou duração

Os fundos de renda fixa são divididos entre baixa, média, alta e livre duração. Abaixo os limites para cada faixa de duration.

• Baixa Duração: fundos que buscam retorno com carteiras com duration inferior a 21 dias úteis;
• Média Duração: fundos que buscam retorno com carteiras com duration inferior ou igual à apurada no IRF-M no último dia de junho;
• Alta Duração: fundos que buscam retorno com carteiras com duration igual ou superior à apurada no IMA-GERAL no último dia de junho;
• Livre Duração: fundos que não possuem compromisso em manter limites mínimo ou máximo para a duration da carteira.

Considerando o CDI como uma proxy do ativo livre de risco, selecionamos o retorno em percentual do CDI para cada ano até o mês de agosto dos tipos de fundos de renda fixa que apresentam maior representatividade na classe (gráfico acima). Com exceção de 2017, os fundos com alta duration entregaram retornos consideravelmente maiores para os seus investidores. Mais destaque ainda para este ano, com retorno de 213% do CDI. Vale, contudo, destacar que, no período analisado, o Banco Central conduziu uma expressiva redução na taxa de juros. Já escrevemos aqui no Blog da HB sobre o impacto dos cortes na Selic na distribuição dos investimentos.

A duration da carteira dos fundos de renda fixa deve ser levada em consideração no processo decisório de investimento. Em tempos de juros em baixa, a escolha de fundos de renda fixa com duration mais elevada pode ser uma boa opção de diversificação. O alongamento do prazo traz mais risco para a carteira do investidor. Porém, por outro lado, pode resultar em rentabilidades maiores.

Deixe uma resposta

× Contato via Whatsapp