Caso Credit Suisse lembra GameStop e levanta dúvidas sobre o poder das redes

Escola de Negócios

Coluna do Valor Investe

No artigo de hoje do Valor Investe abordo o impacto das mídias sociais, e influencers, nos preços das ações. A partir do caso do Credit Suisse, discuto como as anomalias nos preços, em relação aos fundamentos, podem se tornar mais frequentes.
Segue um extrato.

O crescimento das redes e mídias sociais ampliam o alcance da comunicação, reduzem distâncias e encurtam os tempos para decisão. Num mundo interconectado, todos parecem saber de tudo ao mesmo tempo e buscam opinar e influenciar suas comunidades. Todos querem se sentir protagonistas de algo.

O recente caso do Credit Suisse (CS) me chamou atenção. Olhando por esta perspectiva, ele me lembrou o caso da GameStop, quando um conjunto de investidores de pequeno porte, os sardinhas, entraram no mercado e exerceram forte influência sobre os preços das ações. Nesta ocasião, o maciço movimento de compra elevou os preços das ações, à despeito dos frágeis fundamentos apontados pelos especialistas.

A história aqui retratada, embora sem tantos detalhes, evidencia os percalços enfrentados pelo banco e, com certeza, alimentam as pressões de venda e queda dos preços.

No início deste mês de outubro, sem que houvesse notícias novas, pelo menos relevantes, os preços das ações experimentaram um aumento de volatilidade, alternando quedas e recuperação de preços pouco usuais, mas que vão ajudando a piorar o cenário.

Alguns influenciadores, ou participantes ativos de grupos no Twitter e Reddit, começaram a especular sobre a saúde financeira do CS e a indicar a venda das ações, pressionando as cotações e elevando o custo de proteção da dívida, o CDS (credit default swap) por aqueles dias.

Assim como a economia comportamental já comprovou que os preços dos ativos podem ser impactados de forma relevante e frequente por fatores fora do contorno definido entre o risco e o retorno, os influencers também poderiam gerar as tais anomalias.

Se isto for verdade, e nada indica que não seja, é bom estarmos preparados para o que pode vir por aí. Pelo menos três efeitos podem ser esperados..

Leia a íntegra.

#mercadofinanceiro #ações #economia #bolsadevalores #investimentos #hbescoladenegocios

Deixe uma resposta

× Contato via Whatsapp